Publicação

Estamparia Digital é a alternativa mais sustentável e econômica

Qualidade, sustentabilidade e modernidade na hora de estampar

Por que a Estamparia Digital tornou-se a forma mais sustentável e econômica para estampar tecidos? Os processos foram se modernizando aos poucos ao longo da história e vamos conhecer agora como foi a evolução deste segmente que cresce cada vez mais no mundo e no país.

O processo de estamparia tradicional através de telas ou cilindros exige uma grande quantidade de água além de produtos químicos, que muitas vezes acabam sendo despejados no meio ambiente. Outro fator de desperdício são os potes com tinta que sobram da estamparia e acabavam secando depois de um tempo parados e assim são jogados no lixo. O processo de estamparia manual é muito bonito, mas tem esses problemas de sustentabilidade, o que faz com que marcas de moda slow fashion prefiram não estampar.

Graças aos avanços revolucionários na estamparia digital, um consórcio financiado pela União Europeia gerou processos de estamparia sobre tecidos que só usam dez por cento dos produtos químicos necessários nos processos tradicionais. A indústria da estamparia pode estar prestes a experimentar uma revolução.

impress6ea9fd4e79b1ca55.jpg

Durante anos, os processos convencionais tais como a estamparia rotativa tem exigido a aplicação de uma grande quantidade de produtos químicos nos tecidos e a utilização de uma grande quantidade de água e de energia. O processo baseia-se em diferentes telas para cada cor do desenho final e é necessário para produzir uma quantidade suficiente de impressão com pasta para garantir a qualidade de todo o lote.

Esta pasta cobre o tecido e acaba criando um resíduo na água limpa que deve ser tratada posteriormente. Estima-se que 90% dos produtos químicos usados ​​na estamparia não são depositados nos tecidos. A estamparia rotativa revolucionou o processo de estamparia industrial por sua rapidez e capacidade de produzir em grande escala, mas além da gastar muita água e tinta, tem limitação na quantidade de cores de impressão e exige uma metragem alta para de desenvolver desenhos exclusivos.

Os métodos de impressão a jato de tinta não produzem esta enorme quantidade de resíduos, e o único gerado estão relacionados com a limpeza das cabeças de impressão. Este método foi introduzido gradualmente no mercado ao longo dos anos para estampagem de tecidos, mas algumas limitações técnicas e de custo têm retardado sua popularização. Por exemplo, a velocidade de impressão máxima era de cinco metros por minuto na maioria das impressoras digitais de tecidos, uma taxa muito menor do que os processos tradicionais de acabamento, que atingem quarenta metros por minuto.

impres354f077be3bb9d0a.jpg

Pensando no meio ambiente, na alta qualidade de imagem e definição, na grande variedade de cores e vivacidade e também na possibilidade de lotes menores, o que torna o produto mais exclusivo, a Kohmatex foi buscar a melhor solução para estampar para oferecer aos seus clientes fora do Brasil. O investimento foi em máquinas italianas de Estamparia Digital que funcionam como grandes impressoras de papel, só que com tecidos. A definição é realmente surpreendente, o resultado tem cores vivas, imensa variedade de cores e tons, perfeição em efeitos como sombras, degrades e 3D além de toque macio e solidez. Surge assim um novo mundo de possibilidades, sem limites para criar e estampar.

Texto reformulado de: www.textileindustry.ning.com/m/discussion?id=2370240%3ATopic%3A704850

Galeria do Post